Não categorizado

Entenda porque os transportes por aplicativo estão mais lentos

Motoristas de aplicativo

O uso de transportes por aplicativo tem se popularizado em larga escala. Segundo a Uber, o uso se intensificou de forma considerável nos últimos meses da pandemia. No entanto, o mesmo também tem gerado transtorno pela demora excessiva e valores altos. Entenda os motivos.

Transporte por aplicativo
Tela do app da 99 (Foto: Divulgação)

Os altos preços de combustíveis e a maior demanda por corridas

Dois fatores são os principais causadores do problema. O primeiro deles é referente à crescente alta nos combustíveis. O preço elevado da gasolina e do etanol tem feito com que muitos motoristas repensem em aceitar algumas viagens que de acordo com o valor e percurso, deixam de ser lucrativas.

Somente esse ano, o preço da gasolina aumentou em até 51%, em algumas regiões do país, o percentual é ainda mais alto. Lugares como Rio de Janeiro, Tocantins, Acre e Rio Grande do Sul atingiram o preço de R$ 7 o litro da gasolina. Os dados são da Agência Nacional do Petróleo, a ANP.

O etanol também sofre com preços elevados, ainda segundo a ANP, em agosto, foi de R$ 4,399 para R$ 4,497.

Veja também: Alta no preço da gasolina já impacta no transporte por aplicativo

Dessa forma, os lucros dos motoristas de aplicativo estão cada vez menores, o que faz com que motoristas repensem em aceitar ou não determinadas corridas.

Em nota para a CNN, o presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo (AMASP), Eduardo Lima, informou que há um projeto com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico que prevê a instalação Gás Natural Veícular, o GNV, em 60 mil veículos que operam na categoria para tentar gerar uma solução para o problema.

aplicativos de transporte
Alta do combustível é um dos fatores para o aumento no tempo de espera da viagem (Foto: Pixabay)

Demanda crescente afeta no tempo de espera nos apps de transportes por aplicativo 

Segundo a Uber, o que tem causado o maior tempo de espera para conseguir um carro de transportes por aplicativo é a alta de demandas que surgiram nos últimos meses no período da pandemia.

Em resposta à reportagem do portal Olhar Digital, a empresa afirmou que “Com a pandemia, pessoas que antes não usavam a Uber no dia a dia agora estão optando pelo app. (…) Esse contexto de alta demanda por viagens vem se acentuando nas últimas semanas, conforme o avanço da campanha de vacinação e a reabertura progressiva de atividades comerciais pelas autoridades. Nesse sentido, os usuários estão tendo de esperar mais tempo por uma viagem porque, especialmente nos horários de pico, há mais chamados do que parceiros dispostos a realizar viagens.

A demanda elevada significa que o app da Uber está tocando sem parar para os parceiros, situação em que eles relatam se sentirem mais confortáveis para recusar viagens, pois sabem que virão outros chamados na sequência, possivelmente com ganhos maiores.”

Uber e 99 promovem programas de assistência ao motorista de transportes por aplicativo

As empresas de transportes por aplicativo lançaram alguns programas de incentivos que preveem o auxilio ao motorista nessa época de altos preços de combustíveis. Ambas firmaram parcerias com postos de combustíveis para que os motoristas consigam desconto no abastecimento dos veículos em redes credenciadas.

Além disso, a 99 afirmou que em determinados horários do dia, zera a taxa de cobrança do aplicativo, dessa forma, o valor da corrida é repassado de forma 100% para o motorista.

Transporte por aplicativo
Motorista de aplicativo (Foto: Freepik)
Nicole Santana

Nicole SantanaJornalista e especialista em comunicação empresarial, com bagagem de mais de três anos atuando ativamente no setor automotivo, e premiada em 2016 por melhor reportagem jornalística através do concurso da Auto Informe.

O post Entenda porque os transportes por aplicativo estão mais lentos apareceu primeiro em GARAGEM 360.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Vamos conversar?