Não categorizado

Kawasaki Ninja ZX-10R 2022: das pistas para a vitrine

Espécie de cartão de visitas dos fabricantes, os modelos superesportivos representam capacidade tecnológica, potência e velocidade: além do mais, são poderosos instrumentos de marketing. A japonesa Kawasaki, instalada oficialmente no Brasil, captou essa mensagem ao apresentar a nova Ninja ZX-10R, com mais um reforço.

VEJA TAMBÉM:

A moto tem a versão com decoração inspirada no modelo de pista, que conseguiu a façanha de vencer de forma consecutiva as últimas seis edições do Campeonato Mundial de Superbikes. Esta competição, por força do regulamento, só permite a participação de modelos produzidos em série: são praticamente os mesmos que podem ser levados da vitrine das concessionárias para a garagem da freguesia.

Justamente como a ZX-10R, com pintura semelhante à da equipe Kawasaki Racing Team, em verde, preto, branco e vermelho, que tem preço sugerido de R$ 99.990. Por via das dúvidas, a Kawasaki também oferece a versão com pintura “convencional”, em preto, com detalhes em verde e branco, e preço sugerido de R$ 97.990. As motos desembarcam no Brasil a partir de julho, já com o upgrade de modelos 2022, saltando a origem 2021.

Kawasaki Ninja 2022: agora com ‘asas’!

Desenvolvida nas pistas, a aerodinâmica foi refinada e ganhou asas. Com a moto cada vez mais rápida, as asas, entretanto, não são para levantar voo. Funcionam exatamente ao contrário: integradas na dianteira da carenagem, os dois aerofólios (winglets) aumentam a pressão em velocidades mais elevadas em até 17%, forçando a moto contra o asfalto, proporcionando mais estabilidade, por exemplo, nas retas e em curvas com raio mais longo.

O pacote aerodinâmico também reformulou a bolha, ou para-brisa, que aumentou 40 mm na altura, ajudando o piloto a se esconder da ventania com mais conforto.

O bico da carenagem também abriga uma nova tomada de ar para o motor (Ram Air), que ficou menor e canaliza o ar para o motor, funcionando como uma espécie de turbo em altas velocidades. A parte de baixo da carenagem direciona o ar para o novo radiador de óleo do motor, ajudando no arrefecimento.

As mudanças aerodinâmicas também resultaram em ajustes na ergonomia de pilotagem, que ficou ainda mais agressiva. Os semiguidões foram deslocados 10 mm para frente, e as pedaleiras, 5 mm para cima.

Motor da Ninja ZX-10R 2022

O motor da Ninja ZX-10R tem a clássica arquitetura de quatro cilindros em linha, com 998 cm³, e permaneceu sem alterações em relação ao modelo anterior. Contudo, a eficiência foi melhorada com adoção de novo acelerador eletrônico, além de nova relação de câmbio com as três primeiras marchas mais curtas, proporcionando retomadas mais vigorosas.

O câmbio também conta com assistência do quick shifter de duas direções, que permite trocar as marchas para cima e para baixo sem usar a embreagem. A potência chega a 203 cv a 13.200 rpm, porém, com ajuda da pressurização do ar através do Ram Air em altas velocidades, aumenta mais 5%, chegando a 213 cv. Já o torque máximo só aparece com as rotações lá em cima: são 11,7 kgfm a 11.400 rpm.

Suspensão e freios da Ninja ZX-10R

As suspensões foram recalibradas, com garfo Showa BFF (Balanced Free Front Fork, que equaliza a pressão interna do óleo) invertido de 43 mm de diâmetro e 119,4 mm de curso na dianteira e sistema mono na traseira, com 114,3 mm de curso. Ambas são plenamente ajustáveis.

Os freios contam com sistema ABS Cornering (função de curvas) e duplo disco de 330 mm na dianteira, com pinças radiais Brembo de quatro pistões, Na traseira, disco de 220 mm de diâmetro.

Eletrônica

Para comandar a cavalaria, a Ninja ZX-10R incorporou um extenso pacote eletrônico controlado por uma nova central de medição inercial (IMU) desenvolvida pela Bosch, que mede instantaneamente a aceleração, grau de inclinação lateral e longitudinal, desaceleração, rotações do motor e nível de abertura do acelerador, para ajustar o controle de largada e três mapas de motor: Esporte, Estrada e Chuva (ou pisos com pouca aderência).

Os parâmetros de entrega de potência e controle de potência são pré-determinados para cada nodo de condução, Entretanto, o piloto pode optar por configurações manuais customizadas, chamadas de Rider, com quatro níveis (1 a 4), que alteram a forma de entrega de potencia e controle de tração.

Por outro lado, se o piloto quiser encarar um programa mais pacato (difícil para uma superesportiva), a eletrônica incorporou o modo turístico com o cruise control, piloto automático que se encarrega der manter a velocidade de cruzeiro selecionada na estrada, com a contribuição de um quadro de dupla trave em alumínio, com o motor como parte integrante, que ficou 10 mm maior entre eixos, somando 1.450 mm.

Telemetria via bluetooth

A iluminação da Ninja ZX-10R 2022 é toda em LED e o painel em tela TFT, com 4,3 polegadas de diâmetro. O fundo pode ser ajustado em branco ou em preto para melhor visualização. Na hora de enrolar o cabo, o painel conta com tela dedicada, para as pistas, com as informações essenciais em destaque, como o conta-giros e os tempos de volta, por exemplo, além da luzinha shift light, que avisa a hora de trocar as marcha.

Para analisar o desempenho e o funcionamento dos sistemas da moto, o aplicativo Kawasaki Rideology armazena e transmite os dados. O celular também pode ser conectado via bluetooth, potencializando a comunicação.

O post Kawasaki Ninja ZX-10R 2022: das pistas para a vitrine apareceu primeiro em AutoPapo.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Vamos conversar?