Não categorizado

Frentistas podem deixar de existir no Brasil; entenda

Frentistas

Nessa semana, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), propôs duas emendas à MP nº 1063. Elas citam a adoção de bombas de autoatendimento em postos de combustíveis, algo que extinguiria a profissionais frentistas da equação. A segunda emenda diz sobre o uso de biodiesel em carros de passeio, entenda o caso.

frentistas
Homem abastecendo o próprio carro (Foto: Freepik)

Que o preço dos combustíveis, seja o etanol ou a gasolina, está caro, não há dúvidas. Por aqui, já falamos sobre o assunto e até citamos algumas dicas para te ajudar na economia na hora de abastecer.

A partir dos fatos e do cenário atual, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) propôs duas emendas à MP nº1063 na tentativa de reduzir os preços.

O que diz as emendas de Kim Kataguiri

Frentistas saem, bombas de autoatendimento entram

A primeira emenda diz respeito a adoção de bombas de autoatendimento em postos de combustíveis. Dessa forma, os frentistas seriam extintos do mercado.

Para o deputado, com a exclusão dos frentistas da conta, o estabelecimento poderá cobrar a menos pelo combustível. Ou seja, reduzir o número de serviços introduzidos no preço total do mesmo.

Fora da emenda, o deputado também comentou o assunto em suas redes sociais. Na publicação, Kim afirma que a alteração das bombas convencionais para as de autoatendimento não gerará desemprego, e sim, aquecerá a economia.

“As bombas de autoatendimento não geram desemprego. Elas vão baixar o preço da gasolina e aquecer a economia, criando mais empregos em ramos diferentes.” Afirmou o deputado no Twitter.

frentistas
Mulher em bomba de autoatendimento (Foto: Freepik)

Fenepospetro é contra bombas de autoatendimento

Vale destacar que, em 2019, através da PL 2792, Kim já citava o uso de bombas de autoatendimento. Na época, a Federação Nacional dos Empregados de Postos de Combustíveis (FENEPOSPETRO), foi contra à PL, alegando que a ação seria responsável por um desemprego em massa no Brasil. Na época, a classe era composta por uma média de 500 mil frentistas.

Agora, a entidade publicou um artigo acrescentando que a mudança pode expor clientes a acidentes e ao contato com substâncias cancerígenas. A mesma também informou que os custos com o salários dos profissionais representa apenas 2% no preço do combustível.

Segunda proposta se refere a carros movidos a diesel

A segunda proposta do parlamentar é a permissão para que os carros de passeio possam usar diesel. Dessa forma, segundo Kim, haverá uma expansão na oferta de combustíveis. Caso aprovada, a MP modificará a Portaria 346 de 19 de novembro de 1976, que veta a produção de carros de passeio a diesel no Brasil.

No entanto, a medida é contraria as ações recomentadas por instituições e órgãos que estudam o uso de combustíveis fosseis e a adoção de medidas 0 poluentes no país.

Kim defende que “o Brasil deve seguir a tendência mundial de acabar com os carros movidos a combustíveis fósseis, porém precisamos fazer a transição de forma que não nos obrigue a parar de usar veículos no nosso cotidiano.”

Doação de sangue como pagamento de multas

Outra ação recente de Kataguiri é o Projeto de Lei (PL 2799/2021) que visa substituir o pagamento de multas e os pontos na CNH por doação de sangue, em caso de infrações leves ou médias.

frentistas
Doação de sangue (Foto: Pixabay)
Nicole Santana

Nicole SantanaJornalista e especialista em comunicação empresarial, com bagagem de mais de três anos atuando ativamente no setor automotivo, e premiada em 2016 por melhor reportagem jornalística através do concurso da Auto Informe.

O post Frentistas podem deixar de existir no Brasil; entenda apareceu primeiro em GARAGEM 360.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Vamos conversar?