Não categorizado

Óleo do motor: “eu quero o meu!”

Leitor confirma que estou correto ao criticar os mecânicos, pois levou seu automóvel para trocar o óleo do motor em uma oficina. Segundo o manual, no cárter cabem 4,3 litros. Mas ele teve que pagar cinco litros, pois não existe venda fracionada.

Ele pediu então os outros 700 ml (0,7 litro) que sobraram e o mecânico não recomendou, alegando que o óleo – depois de aberto o frasco – entra em processo de oxidação e os aditivos perdem o efeito.

“Isto é ou não é uma pi-ca-re-ta-gem?” pergunta o leitor.

VEJA TAMBÉM:

Mas, nessa o mecânico está perfeitamente correto, picaretagem nenhuma. Óleo do motor é como remédio: pode estar parado dentro da gaveta que expira em dois ou três ou quatro anos.

No caso do óleo, ele também perde a eficiência depois de determinado período de tempo ou quilometragem percorrida.

O post Óleo do motor: “eu quero o meu!” apareceu primeiro em AutoPapo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Vamos conversar?