Não categorizado

Toyota se recusa a abandonar tecnologia de 25 anos – e se dá bem

A Toyota “bebeu água limpa” quando lançou o Prius, seu carro híbrido, há 25 anos. O modelo foi um sucesso comercial estrondoso. Hoje, a marca japonesa é uma das poucas que ainda não está apostando suas fichas em modelos totalmente elétricos, e vai além: ainda insiste em baterias de níquel-hidreto metálico, tecnologia já abandonada pelas concorrentes em favor das baterias de íon-lítio.

Mas essa jogada tem um aspecto positivo: a Toyota conseguiu desenvolvê-las o que permite que ainda sejam utilizadas em novos carros com algumas vantagens.

VEJA TAMBÉM:

Segundo a Automotive News, a “nova” tecnologia é chamada de bateria bipolar de níquel-hidreto metálico, a configuração atualizada utiliza um novo design estrutural que não apenas a torna mais poderosa, mas também mais compacta. O novo design é 1,5 vezes mais poderoso do que antes e permite 1,4 vezes mais células no mesmo espaço.

A Toyota planeja lançar uma nova geração de baterias de íon-lítio a partir de 2025, junto com baterias de estado sólido – essas sim, um salto em capacidade e tempo de recarga. A desvantagem desse último é que eles provavelmente serão mais caros no início. Levará algum tempo para reduzir os custos.

Enquanto isso, a Toyota consegue prolongar a vida útil de seus produtos com um custo mais baixo do que a de seus concorrentes.

Toyota ‘ignora’ carros elétricos

A Toyota é um dos fabricantes de veículos que menos investiu em carros elétricos nos últimos anos. A marca japonesa investe pesado é nos híbridos, que mesclam motores elétricos e a combustão, e nos veículos a hidrogênio, com tecnologia de célula de combustível.

Porém, vale lembrar que esses modelos têm propulsão elétrica: a diferença é que, em vez de necessitarem de recargas em tomadas e de baterias, eles produzem a própria eletricidade a partir do hidrogênio, por meio de reações químicas.

Foi só recentemente recentemente que a Toyota entrou no segmento dos carros elétricos tradicionais com o bZ4X. Ele utiliza baterias que, segundo o fabricante, têm vida útil mínima de 10 anos. O modelo será produzido no Japão e chegará ao mercado global em 2022: por enquanto, ainda está na fase de protótipo.

Toyota Prius: como é dirigir um carro híbrido? Boris Feldman explica!

O post Toyota se recusa a abandonar tecnologia de 25 anos – e se dá bem apareceu primeiro em AutoPapo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Vamos conversar?